home Notícias Petição pelo investimento na Escola Pública: subscrição online

Petição pelo investimento na Escola Pública: subscrição online

Os primeiros 100 subscritores do Abaixo-assinado / Petição nacional em defesa do investimento na escola pública  (pode subscrever aqui) apelam ao investimento na escola que é de todos e defendem que o financiamento a colégios privados só pode acontecer quando a resposta pública é insuficiente. A defesa da Escola Pública é uma questão político-ideológica, legal e de interesse financeiro. Veja o álbum fotográfico nacional e o álbum fotográfico do Funchal.

A partir de 16 de maio, em todo o país (ver localização das bancas e Abaixo-Assinado / Petição para impressão) e por diversas formas, estão a ser recolhidas assinaturas num documento que se defende a não duplicação do financiamento público em Educação, a garantia de financiamento adequado às escolas públicas e a manutenção de apoio financeiro a colégios privados apenas quando a resposta pública é insuficiente.

No Funchal, a recolha de assinaturas teve lugar no dia 19 de maio na Placa Central – Avenida Arriaga, em frente à Secretaria Regional de Educação.

O texto poderá ser subscrito por qualquer cidadão do nosso país defende ainda que aos docentes dos estabelecimentos particulares e cooperativos sejam aplicadas as mesmas normas de organização dos horários de trabalho que se aplicam no ensino público e termina com a rejeição, por parte dos subscritores, de todas as acusações que pretendem menorizar e desqualificar o ensino público e os seus profissionais, reafirmando que só com um maior investimento na Escola Pública se garante o direito de todos a uma educação de qualidade.

O Abaixo-Assinado /Petição pode ser subscrito em locais públicos onde são recolhidas assinaturas, nas escolas e também online.

Este abaixo-assinado / petição apresenta um leque variado nos 100 primeiros subscritores, em que se contam académicos, artistas, autarcas, deputados, diretores de escolas e agrupamentos, dirigentes do movimento associativo de deficientes, dirigentes do movimento associativo de pais, docentes, escritores, investigadores, jornalistas, sindicalistas e personalidades diversas.

Fausto, Sérgio Godinho, Pedro Abrunhosa, Manuel Alegre, Baptista Bastos, Helena Roseta ou Ana Benavente são apenas alguns dos nomes que figuram na referida petição, mas também Kalu, baterista dos Xutos & Pontapés, o escritor Valter Hugo Mãe e Maria Antónia Mendes ʻMitóʼ da banda A Naifa, além de diversos elementos ligados à área da educação como Isabel Gregório, Manuel Pereira e Filinto Lima. Note-se a presença de três deputados da Assembleia Legislativa da Madeira, Roberto Almada, Sofia Canha e Élvio Sousa, e de Paulo Cafôfo, presidente da Câmara Municipal do Funchal.

Desde o dia 16, um pouco por todo o país, foram instaladas bancas em locais públicos, onde dirigentes da FENPROF e diversos subscritores, em contacto com a população, recolheram assinaturas e distribuíram um texto que aborda o que verdadeiramente está em causa neste momento em que o debate sobre o financiamento público a colégios privados ganhou uma expressão muito forte.

bancaLisboa_8

Álbum fotográfico do Funchal

Álbum fotográfico nacional

Partilha:
TAGS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

centro de formacao
regalias