home Notícias, PROF#ficaemcasa À𝘀 𝘃𝗲𝘇𝗲𝘀 é 𝗽𝗿𝗲𝗰𝗶𝘀𝗼 𝗽𝗮𝗿𝗮𝗿

À𝘀 𝘃𝗲𝘇𝗲𝘀 é 𝗽𝗿𝗲𝗰𝗶𝘀𝗼 𝗽𝗮𝗿𝗮𝗿

Paz no Coração…
Todo o ser é livre e cheio de amor…
Todos somos capazes de amar, mas não somos capazes de amar sós…
Somos reunidos de emoções, de múltiplas escolhas e de muitas imperfeições…
Haja muita fé, muita coragem, esperança e resiliência para navegar com liberdade e amor.
Sejamos marinheiros de amor, onde amar o próximo seja o melhor caminho a percorrer, mas saibamos amar
sem ferir, mas sim cultivando da melhor forma possível laços que possam construir pontes, ajudando a
evoluirmos como seres imperfeitos, mas dignos, abertos à escuta e ao perdão.
Porque amar é dar-se ao outro, perdoando e aceitando os ventos contrários.
A resiliência faz de nós Força, mas a nossa origem e as nossas múltiplas fraquezas fazem-nos lembrar que
somos imperfeitos.
Só com Paz no coração é que conseguimos e podemos ACREDITAR que um dia a imperfeição nos levará à
união perfeita.
Pois é somente com Amor que existe um Mar calmo e capaz de vencer as diversas correntes…
Seja um Marinheiro de Amor e de Bondade.
A paz vem do coração, do nosso interior, daquilo que deixamos semear dentro de nós próprios. Por essa razão,
precisamos de ter calma e apreciar melhor o outro, a criança, a família, a razão de algo acontecer, quando
estamos longe.
Hoje, já conseguimos ver melhor e conhecer o outro, porque não temos por onde fugir, não temos escolha,
temos mesmo de aguentar.
Hoje, parece que conhecemos mais os nossos encarregados de educação, a forma como lidam em casa com
os seus filhos, pois agora partilham connosco os vídeos, os trabalhos e conversam mais sobre o que sentem.
Existe agora uma maior proximidade com os filhos, com a família e toda a comunidade educativa, partilhando
sentimentos, emoções que nunca foram pronunciadas.
As famílias hoje criaram rotinas em casa com e para os seus filhos, e hoje observo que foi “preciso parar”, para
educar, para comunicar e ensinar mais e melhor.
Vejo mais empenho e mais interesse em educar e aprender. Não quero dizer que a Escola não é necessária,
mas é apenas um meio, um complemento. A Família é a base e hoje observo nos trabalhos que me enviam o
querer fazer bem, a preocupação de perguntar “está bem assim?”.
Aprendemos melhor agora, em casa, fazendo o nosso melhor, criando e usando as mais variadas experiências,
tarefas e técnicas pelos meios de comunicação existentes: via email, via Skype, via Messenger, Facebook,
WhatsApp e videoconferência.
Estes meses em casa fizeram as pessoas pararem e refletirem; não sobrevivemos sem comunicarmos uns com
os outros. Até eu senti mais necessidade de comunicar.
Senti vontade de conversar mais, abrindo portas que não tinha aberto, as portas da amizade.
Por essa razão, amem-se! É urgente criar laços, pois podemos afundarmo-nos num imenso azul mar vazio e
sem retorno; tudo o que colhemos semeamos; a lei do retorno é infalível.
Por essa razão, saibamos brotar em nós, a partir de Deus, uma vida de bondade e oportunidades de
acolhermos os outros, de nos aproximarmos mais daqueles que, sem o Covid19, não o faríamos.
Viva a capacidade de Amar e Perdoar de forma livre e sem quebrarmos o compromisso de cuidarmos do outro,
pois muitas vezes refletimos no outro, o que existe no interior de nós.
Cuidem-se e procurem encontrarem-se no silêncio; mudemos os nossos comportamentos aproveitando todo
este tempo livre e a causa do Covid19.
Por vezes, é preciso ficar sós, para refletirmos mais.
Por vezes, é necessário o convívio para sabermos quem somos e com quem lidamos.
Por vezes, é mesmo preciso criar distância para sentir o quanto é importante Amar e o quanto é importante um
abraço e o Ser quando tudo isto terminar.
Acordemos para o essencial e naveguemos no barco do amor…Aquele barco de que o Papa Francisco nos
falou. Afinal, estamos todos no mesmo barco, mas só se salvará aquele que estiver com Deus.

Partilha:
TAGS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

centro de formacao
regalias